Generalidades

28 de setembro: dia mundial contra a Raiva

Em 28 de setembro é celebrado o Dia Mundial Contra a Raiva. A cada ano, esta data desempenha um papel crucial na promoção da luta contra a doença e na conscientização sobre a sua prevenção.

A Organização Pan-Americana de Saúde – OPAS, através do da campanha “Todos por 1, uma saúde por todos”, busca unir as pessoas, aumentar a conscientização, promover a prevenção e avançar em direção a um mundo livre da doença, protegendo assim a saúde de todos.

O que é a raiva?

A raiva é uma doença grave e fatal causada por um vírus que afeta o cérebro e o sistema nervoso. Essa doença pode afetar mamíferos, incluindo o homem, cães, gatos e animais silvestres, como morcegos e raposas.

A doença é considerada uma zoonose, ou seja, uma doença que pode ser transmitida tanto dos animais para o homem quanto do homem para os animais. A Organização Pan-Americana de Saúde estima a raiva é responsável por cerca de 60.000 mortes humanas anualmente, sendo os cães a principal fonte de infecção

Apesar de tão grave, a raiva é uma doença que pode ser prevenida por meio da vacinação dos animais.

 

O que causa a raiva

A raiva é causada por um vírus. Quando os animais estão infectados, os vírus são encontrados principalmente na sua saliva e também no cérebro. O vírus da raiva afeta o sistema nervoso central, levando a sintomas graves e até mesmo à morte. A raiva é transmitida principalmente pela mordida ou arranhão de um animal infectado. Animais sadios também podem adquirir a doença se tiverem contato com outros animais infectados, seja por mordidas ou até mesmo durante a caça e predação de morcegos portadores do vírus.

 

Sinais e sintomas

A raiva é considerada uma doença muito grave, pois é letal e causa uma inflamação no cérebro, conhecida como encefalite. Não existe cura para a doença, e a incubação varia de semanas a meses, ou seja, uma pessoa pode ser mordida por um animal infectado e só começar a apresentar sinais da doença semanas ou até meses depois.

  • Nos animais: Cães e gatos podem apresentar alterações de comportamento, sinais como dificuldade para engolir e respirar, salivação excessiva, agressividade, automutilação e paralisia dos membros. Em cães, é comum observar o latido bitonal, também conhecido como “uivo rouco.”
  • Nos humanos: Os sintomas iniciais incluem febre, dor de cabeça, dor de garganta e fadiga. À medida que a doença progride, surgem sintomas neurológicos, como agitação, alucinações, espasmos musculares e dificuldade em engolir. Essa fase é frequentemente seguida por paralisia e coma, resultando em morte.

 

Prevenção

A raiva é prevenível por meio da vacinação anual de animais, principalmente de cães e gatos, mas também de animais de fazenda, como cavalos e vacas.

campanha dia mundial contra a raiva, banner mostrando passos para evitar mordidas de caes
5 chaves para prevenir mordidas de cães – OPAS – Disponível em https://www.paho.org/pt/campanhas/dia-mundial-contra-raiva-2023

Se alguém sofrer uma mordida ou arranhadura de um animal, é importante:

  • Lavar imediatamente a ferida com água e sabão. Se o animal não possuir histórico de vacinação, recomenda-se lavar a ferida até 15 minutos, a fim de inativar o vírus da raiva.
  • Buscar atendimento médico o mais rápido possível e compartilhar todas as informações sobre o incidente com os profissionais de saúde para que eles possam realizar o tratamento adequado e notificar as autoridades sanitárias da região.
  • Cães envolvidos em incidentes com mordidas devem ser observados por 10 dias, recebendo água e comida à vontade. Além disso, a observação é realizada em cooperação com as autoridades sanitárias do município, como as Unidades de Vigilância de Zoonoses.

Em resumo, a raiva é uma doença grave que afeta mamíferos e é transmitida principalmente por mordidas ou arranhadura de animais infectados. A prevenção e a busca de tratamento imediato são essenciais para evitar complicações graves e fatais associadas a essa doença.

Para informações sobre casos de raiva humana no Brasil, você pode consultar os dados fornecidos pelo Ministério da Saúde.

 

Saiba mais em:

Elisa F Cruz

Escrever sobre animais é um hobbie e uma diversão. Sempre me intriga as perguntas que as pessoas têm sobre seus bichinhos de estimação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *