Generalidades

Caramujo Africano: Um gigante invasor

Você sabia que no Brasil, existe um tipo de caramujo que veio da África e está causando problemas? Vamos falar sobre o Caramujo Gigante Africano, um bichinho que não parece perigoso à primeira vista, mas pode trazer problemas para a nossa saúde e para o meio ambiente.

 

Como o caramujo chegou aqui?

O caramujo africano (Achatina fulica) chegou ao Brasil nos anos 80, quando produtores trouxeram ele da África, com a intenção de usá-los em pratos culinários, como o escargot. Mas isso não deu certo, e as pessoas não gostaram muito do sabor da carne desse bichinho. Então, sem conhecer as consequências de soltar na natureza uma espécie de outro lugar, libertaram os caramujos em regiões de mata. Desde então, a população de caramujos cresceu tanto que é hoje um problema de saúde pública.

 

Características do caramujo gigante africano

Esses caramujos são grandes, podem chegar a ter 20 centímetros de comprimento e pesar 500 gramas. Eles têm uma casca escura com listras marrons. Mas o que os torna um problema é que eles podem se reproduzir facilmente porque são hermafroditas, o que significa que não precisam de um parceiro para ter filhotes.
É mais comum de serem vistos em épocas chuvosas, quando o ambiente está úmido.

 

Por que os caramujos invasores são perigosos?

Ainda que esses caramujos não mordam e não possuam veneno, eles podem transmitir doenças para os seres humanos, como meningite, hepatite e também angiostrongiliase abdominal. Então, é importante não tocar o caramujo africano com as mãos nuas, ou seja, é necessário usar luvas quando precisar mexer com eles.

Impacto no ecossistema

Além de ameaçar nossa saúde, esses caramujos também prejudicam o ambiente. Por ser uma espécie invasora,  eles não têm inimigos naturais  ou predadores, o que significa que a população deles continua crescendo sem controle. Isso pode causar problemas, como competição por comida com nossas espécies nativas e desequilibro na natureza.

Como evitar caramujos no quintal e em casa:

O que não fazer caso encontre caramujos:

  • Não jogue sal. O sal representa uma ameaça para os caramujos, pois pode incentivá-los a liberar seus ovos no local, resultando em mais filhotes em pouco tempo. Além disso, ao aplicar sal nos caramujos, as cascas permanecem no ambiente, e essas cascas podem acumular água. Essas poças de água parada podem servir como criadouro para o mosquito da dengue.
  • Não use venenos, pois o uso de produtos químicos pode contaminar o ambiente, prejudicar outras espécies e, na maioria das vezes, não resolve efetivamente o problema. Produtos químicos devem ser utilizados apenas em situações específicas, em áreas menores e controladas, e sempre sob a orientação de um profissional.

 

O que fazer se encontrar um caramujo em casa:

  • Use luvas
  • Colete os caramujos e armazene em saco plástico comum, ou em frasco com álcool
  • Entre em contato com a secretaria de saúde do município para que eles recolham e identifiquem a espécie.

 

A melhor maneira de lidar com o Caramujo Africano é pedir ajuda à secretaria de saúde da sua região. Eles têm pessoas treinadas que podem identificar corretamente a espécie dos caramujos e tomar as medidas certas para proteger nossas espécies nativas e o meio ambiente.

Caso você more em local onde não exista medidas de controle, colete os caramujos e os ovos e coloque-os em balde ou saco resistente. Quebre as conchas e os ovos com martelo ou similar. Enterre-os, tendo o cuidado de antes cobri-los com uma camada de cal virgem.

 

Leia também:

 

Saiba mais em

Elisa F Cruz

Escrever sobre animais é um hobbie e uma diversão. Sempre me intriga as perguntas que as pessoas têm sobre seus bichinhos de estimação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *