Saúde e bem-estar

Carrapato: Aprenda a proteger seu pet

Carrapatos em cães e gatos são uma fonte comum de preocupação para quem possui pets. Além de se alimentarem do sangue dos animais e causarem incômodo, os carrapatos também podem transmitir doenças.

Neste artigo, exploraremos maneiras eficazes de identificar, tratar e prevenir infestações de carrapatos, garantindo a saúde e bem-estar de seus animais de estimação.

O que são carrapatos?

Carrapatos são pequenos artrópodes parasitas que se alimentam aracnídeos parasitas que se alimentam do sangue de animais, incluindo mamíferos, aves e, por vezes, até mesmo seres humanos. Eles possuem corpos achatados e oito pernas, assim como as aranhas.

Os carrapatos podem ter diferentes cores e tamanhos a depender da espécie. Além disso, eles se fixam à pele de seus hospedeiros através de seus aparelhos bucais, onde perfuram a pele e conseguem se alimentar do sangue do hospedeiro.

Como os carrapatos transmitem doenças?

Os carrapatos transmitem doenças durante o processo de alimentação. Para se alimentar, utilizam seu aparelho bucal para fixação no hospedeiro, cortando a pele e inserindo um tubo para sugar o sangue, podendo esse processo durar horas ou dias. Após a alimentação, o carrapato cai e se prepara para a próxima fase de vida, buscando um novo hospedeiro.

Ao se alimentar de um animal doente, o carrapato se contamina com microorganismos, como bactérias, vírus e parasitas, que passam a viver dentro dele. Dessa forma, quando o carrapato for se alimentar de novos animais, a saliva contaminada entra em contato com o sangue, resultando na contaminação do novo hospedeiro. Esse ciclo é a maneira como os carrapatos disseminam doenças, tornando-se um problema de saúde em várias regiões do mundo.

Entre as doenças transmitidas pelos carrapatos, as mais preocupantes para os animais incluem a erliquiose (conhecida como a doença do carrapato em cães), a babesiose e febre maculosa.

Como os carrapatos conseguem subir nos animais?

Carrapatos não têm a capacidade de voar ou pular, como as pulgas.

Eles geralmente encontram seus hospedeiros detectando a respiração, odores corporais ou mesmo o calor dos animais. Dessa forma, os carrapatos conseguem identificar áreas com maior circulação de animais, aguardando pacientemente nas pontas de gramas, folhas e arbustos. Quando os animais se aproximam, os carrapatos se prendem a eles. Esse processo é uma parte importante do ciclo de vida desses parasitas e como eles entram em contato com os animais.

carrapato
Foto de Erik Karits

Impactos dos Carrapatos nos Pets

Carrapatos representam diversos riscos para cães e gatos, incluindo:

Transmissão de doenças

Esses parasitas podem transmitir várias doenças aos animais de estimação, como erliquiose, febre maculosa, babesiose, anaplasmose e outras infecções, podendo causar sintomas graves e impactar a saúde a longo prazo dos animais.

Irritação na pele

As picadas de carrapatos podem resultar em irritação localizada na pele dos pets, provocando coceira, vermelhidão e inflamação.

Anemia

Em casos de infestação severa por carrapatos, a perda de sangue pode levar à anemia nos animais de estimação.

Reações alérgicas

Alguns animais podem desenvolver reações alérgicas às picadas de carrapatos, manifestando sintomas como inchaço, coceira intensa e desconforto.

Dermatite de hipersensibilidade à picada de carrapato

Esta condição alérgica comum em cães ocorre devido a uma reação à saliva do carrapato, resultando em coceira intensa e inflamação na pele.

Encontrei um carrapato no meu pet, e agora?

Remover o carrapato pode ser um desafio para muitas pessoas, mas é importante para evitar que seu pet fique doente, afinal, o carrapato pode estar infectado com algum microrganismo.

Para começar, proteja suas mãos usando luvas e utilize uma pinça para retirar manualmente o carrapato com cautela.

Se o carrapato não for muito pequeno, você também pode usar papel higiênico para proteger suas mãos enquanto o remove.

Após a remoção, é possível armazenar o carrapato em um frasco com álcool para matá-lo. Você pode ainda mostrar o carrapato ao veterinário e pedir orientações adicionais.

Importante: Evite o uso de álcool ou substâncias irritantes na hora de remover o carrapato, pois isso pode fazer o carrapato regurgitar, aumentando o risco de infecção do pet por microrganismos.

Após a remoção do carrapato, higienize a pele do pet, limpando a área com água e sabão ou, se preferir, álcool, após a retirada do carrapato.

Como prevenir carrapatos em cães?

Separamos as dicas de prevenção em pontos:

Consulte um veterinário

Embora os carrapatos sejam comuns, é importante reconhecer que nem todas as áreas são propensas a infestações por carrapatos. O veterinário, conhecedor da região em que você reside, pode oferecer orientações sobre a presença desses parasitas e as doenças associadas a eles. Ele também pode indicar tratamentos preventivos, como coleiras, sprays, gotas e medicamentos orais.

Faça inspeções no pet ao retornar de passeios

A realização de inspeções regulares é fundamental. Após passeios com seu pet, examine cuidadosamente a si mesmo e aos animais em busca de carrapatos. Concentre-se em áreas como cabeça, pescoço, orelhas e patas, pois são onde os carrapatos são mais frequentemente encontrados. Remova qualquer carrapato imediatamente e de maneira apropriada para reduzir o risco de transmissão de doenças.

Evite áreas de risco

Evitar áreas de alto risco também é uma medida eficaz. Se possível, evite locais conhecidos por infestações de carrapatos, como pastagens densas, florestas e arbustos.

Mantenha as vacinas do pet atualizadas

Para cães, em algumas regiões, há vacinas disponíveis para prevenir as doenças transmitidas por carrapatos. No entanto, é essencial realizar qualquer protocolo de vacinação exclusivamente com a supervisão de um médico veterinário, garantindo a qualidade e segurança das vacinas.

Ao entender melhor a natureza dos carrapatos e como eles participam da transmissão de algumas doenças é importante. É possível concluir que os carrapatos são pequenos no tamanho, mas podem representar um grande risco de doenças para os pets.
Siga as dicas do artigo e esclareça as suas dúvidas com um veterinário, afinal, ele é seu melhor aliado para te ajudar a cuidar melhor da saúde dos pets.

Elisa F Cruz

Escrever sobre animais é um hobbie e uma diversão. Sempre me intriga as perguntas que as pessoas têm sobre seus bichinhos de estimação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *